II Workshop Catarinense de Indicação Geográfica

3/9/2013

 

A colonização Européia da região de Santa Catarina foi feita basicamente por pessoas humildes, servos dos grandes senhores feudais que saíram de sua pátria em busca do seu pedacinho de terra.

 

Na bagagem desses imigrantes vieram tradições e costumes seculares, utilizando esse conhecimento passaram a produzir diversos produtos necessários a sua subsistência, entre agro alimentares e não agro alimentares, gerando riqueza e crescimento na região, tudo fruto das tradições e conhecimentos trazidos da Europa.

 

Com o passar do tempo, esses produtos foram marginalizados e por questões de concorrência, perderam seu peso na economia local e na vida da população, afetando inclusive as tradições.

 

Como forma de enfrentar esses problemas, entre outros instrumentos, adotou-se como estratégia exaltar o diferencial da produção vinculada à origem do produto. Para atingir esse objetivo, diversos órgãos governamentais e agências de fomento disponibilizam verbas para auxiliar os produtores no reconhecimento da Indicação Geográfica, que é vantajosa tanto para quem produz quanto para quem compra, e por isso mesmo, para a economia do país.

 

Demonstrar a importância da Propriedade Intelectual, em especial do Instituto da Indicação Geográfica, como instrumento de preservação, valorização e distinção de produtos tradicionais, preservação do Patrimônio Cultural Imaterial, fortalecimento da economia, geração de desenvolvimento regional e de emprego e renda, esse é o objeto do evento.

Please reload

Destaques

Encontro da Rede de Cooperação em Corupá

10/02/2017

1/8
Please reload

Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Tópicos
Please reload

REDE INDICAÇÃO GEOGRÁFICA 2015 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS